quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

ESTRATÉGIA OU INOVAÇÃO?


  

29/01/2009,00:25:47
IGREJAS CRIAM ESTRATÉGIAS PARA O CARNAVAL

De norte a sul do país, várias denominações evangélicas entenderam que usar os símbolos do carnaval para evangelizar é uma boa estratégia para angariar almas para Jesus. A cidade de Salvador (BA) tem o bloco Sal da Terra, organizado pela Igreja Batista Missionária da Independência (IBMI), e conta com integrantes de outras igrejas evangélicas da cidade. Em Macaé, norte fluminense, há o bloco Unidos da Fonte, que faz parte da Comunidade Evangélica de Macaé. Em Curitiba (PR) a escola de samba Bom à Beça, de doze igrejas evangélicas da região, desfila pelas ruas da capital paranaense. No Rio de Janeiro, a Comunidade Evangélica Internacional da Zona Sul também coloca o bloco na rua e comunica a mensagem do Evangelho durante o período de carnaval.

Um dos pioneiros nesse trabalho é o bloco Cara de Leão, do Projeto Vida Nova de Irajá, subúrbio carioca. Comandado pelo apóstolo Ezequiel Teixeira, o bloco surgiu em 1991 e leva quase 5 mil pessoas à Avenida Rio Branco, no centro do Rio de Janeiro, todos os anos. “Os componentes são divididos em cinco alas, e toda a congregação pode participar. Temos a ala das crianças, dos adolescentes, jovens e adultos, de teatro e da igreja. A gente faz um trabalho de evangelismo pessoal, com distribuição de literatura, teatro, música. É apenas uma estratégia, nós não temos nenhum compromisso com o carnaval. O nosso compromisso é com o Senhor Jesus”, afirma Valéria Forte de Queiroz, responsável pelo bloco junto com o marido, Wallace.

Enquanto o bloco passa na avenida, uma equipe de apoio faz evangelismo e distribui folhetos em inglês e português. O grupo sofreu muito no início com o preconceito de setores da igreja evangélica no Rio. “Chegaram a chamar o apóstolo Rei Momo gospel. A igreja foi apedrejada, improvisaram uma bomba e colocaram no templo. Jogaram um paralelepípedo no carro de um dos irmãos que atuava no bloco. Sofremos muita perseguição, mas Deus nos deu a vitória e os frutos estão aí para todos verem”, conta Valéria, uma das fundadoras do Cara de Leão.

Fonte:Creio
Contribuição:
Silvia Saron

 

É preciso sim, criarmos estratégias para evangelizarmos, porém, essas estratégias não podem fugir aos padrões bíblicos.  Não podemos simplesmente deduzir que essa é a melhor forma de evangelizar no carnaval. Não consigo imaginar Jesus se utilizando desta estratégia. Exemplo, em um bela manhã, em plena folia, Jesus juntamente com seus discípulos sai em um bloco”evangélico” para evangelizar. Qual seria a diferença? Quando Ele mesmo disse: Vós sois o sal da terra. Leia. Mt 5.13,14,16 -Vós sois o sal da terra; e se o sal for insípido, com que se há de salgar? Para nada mais presta senão para se lançar fora, e ser pisado pelos homens. Vós sois a luz do mundo; não se pode esconder uma cidade edificada sobre um monte; Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai, que está nos céus.

 Diones Brito

 

 

 

3 comentários:

Daladier Lima disse...

Deus nos guarde! Ninguém quer suar no domingo, descendo e subindo vales. De última hora, todos estão preocupados em cumprir o Ide. Classifico essa turma como um bando de pilantras intelectuais. Querem pregar? Ponham um bocado de folhetos debaixo do braço e evangelizem nos ônibus. É um bom começo.

Cléber disse...

Eu acho ótima estratégia e como todo ano observo que vem surgindo bons resultados e espero que continuem.

Diones Brito disse...

Cléber respeito a sua opinião, porém, discordo deste tipo de"estratégia" existe muitos outros meios. Não consigo imaginar Jesus se utilizando desse tipo de "estratégia".
Deus continue te abençoando.